EspañolEnglishItaliano

Dia Internacional das Pessoas com Deficiência 3 de dezembro – Salve um incrédulo


Dia Internacional das Pessoas com Deficiência – 3 de dezembro

Por ocasião do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, que se celebra a 3 de dezembro, queremos pedir-lhe que reflita sobre o talento que elas reúnem e, se partilhar a nossa a nossa visão, difunda a mensagem!

Salve um incrédulo! Ajude-nos a realçar o talento das pessoas com deficiência; com educação, humor e empatia, tornaremos patente o evidente. 

A integração social e laboral das pessoas com deficiência é um elemento chave para desenvolvermos uma sociedade diversa e inclusiva. Para alcançar a sua normalização nos ambientes de trabalho, é necessário despirmo-nos de todos os preconceitos e do desconhecimento que, à partida, podem levar-nos a pensar que uma pessoa com deficiência não tem as competências necessárias para trabalhar ao nosso lado, para nos atender numa loja ou num banco, para nos servir um café pela manhã ou para qualquer outra atividade profissional. No entanto, as pessoas com deficiência têm uma participação cada vez maior nas Universidades, nos centros de Formação Profissional, nas empresas e em qualquer âmbito da nossa sociedade.

Se se cruzar com uma pessoa com deficiência, seja no trabalho, nas aulas, a fazer compras, nos transportes públicos ou em qualquer outra situação, deixe para trás as falsas crenças. Deixemos de utilizar a palavra “deficiência” como um elemento definidor, façamos com que seja, simplesmente, um adjetivo mais, que não subtraia espaço ao seu talento ou à sua capacidade.

Se tiver de salvar uma pessoa incrédula, lembre-se de o fazer sempre com educação, com coragem, com empatia e com uma pitada de humor.

Convidamo-lo a conhecer as histórias de Ana e Inés, duas mulheres com deficiência, mas também com talento, com empatia e com a determinação de visibilizar o seu talento. E, não se esqueça, se gostar, partilhe!

Empresas que nos ajudam a salvar incrédulos

Empresas que apoyan la campaña del Día Internacional de las Personas con Discapacidad 2021Logos de las empresas que apoyan la campaña de Día Internacional de las Personas con Discapacidad 2021 segunda parteLogos de las empresas que apoyan la campaña de Día Internacional de las Personas con Discapacidad 2021 tercera parte

Talento e deficiência

Preconceitos e desconhecimento:

O Mario não conhece pessoas com deficiência intelectual e pensa que a Ana, por ter uma deficiência, não será capaz de o atender devidamente na loja. A sua forma de falar, o tratamento condescendente e infantilizado prejudica a Ana no atendimento adequado das suas necessidades.

A Ana está habituada a reações como as do Mario, embora isso não queira dizer que não se sinta incomodada pelo facto de o seu talento e valor estarem constantemente a ser postos em causa.

Com educação e coragem, salvou um incrédulo.

Superproteção e medo:

O Miquel está muito nervoso, é o primeiro dia de Universidade da sua filha Inés, que tem paralisia cerebral. Pensa que os colegas não a vão aceitar, que os professores não estão preparados para dar aulas a pessoas com deficiência… o que não imagina é que o mundo, felizmente, mudou muito e que a sua filha tem as mesmas inquietudes e interesses que qualquer outra jovem universitária.

A Inés voltou para casa entusiasmada! Integrou-se tão bem desde o primeiro momento… está impaciente por começar a passar mais tempo com os seus colegas.

Com humor e coragem, a Inés salvou um incrédulo.

As nossas protagonistas

Ana Mencía, atriz, trabalhadora e bailarina clássica. A sua deficiência, a síndrome de Down, é apenas mais uma das suas características. Ana é uma mulher empática, divertida, extrovertida e corajosa, que está comprometida com a igualdade de oportunidades no trabalho de todas as pessoas, especialmente daquelas que têm deficiência.

Inés Rodríguez, terapeuta da fala, nadadora da seleção espanhola de desportistas com paralisia cerebral, extrovertida e divertida. A Inés terminou o seu curso e mudou agora para tirar um mestrado. Interpreta uma rapariga que enfrenta o seu primeiro dia de universidade; felizmente, o ambiente não era tão superprotetor, embora a universidade não seja alheia à necessidade de favorecer o acesso das pessoas com deficiência à formação superior para melhorar a suas oportunidades de emprego nas empresas comuns. Está muito habituada a abordar com humor os preconceitos da sociedade face à sua deficiência.

×

Disponible de lunes a viernes de 9.00 a 18.00.

Por *Teléfono http://dondefunda * o Whatsapp

 

× ¿Te ayudamos?